25.12.16

MAIS UMA TENTATIVA E ALGUMAS RESOLUÇÕES.

Vinte e cinco de dezembro de dois mil e dezesseis. 
Acho que eu posso oficialmente dizer que a época em que eu ainda me sentia "festiva" acabou. Talvez eu esteja (1) me tornando uma velha sem graça (2) me tornando velha e consequentemente adquirindo outras preocupações além de feriados. A verdade é que meu cérebro não sai mais de férias. Bom, mas apesar de tudo estamos em época de resoluções de ano novo, não é mesmo? Risos. 

Andei percebendo que o que mais sinto falta é de compartilhar momentos. Compartilhar momentos de fato. Cada um. Por mais insignificante que seja. Eu tinha uma hábito muito saudável de documentar minha vida em dois mil e treze/quatorze e por algum motivo esse hábito foi se esvaindo com o passar do tempo. 

Meta número um para dois mil e dezessete: voltar a documentar minha vida. 

Entrando na onda das retrospectivas e mais resoluções: dia desses estava conversando com o Adriano sobre anos lixos e chegamos a conclusão de que 2016/2 até que foi ok. No meio dessa conversa eu soltei um “Cafeína destrói personalidades, ou pelo menos destruiu a minha…que eu só fui reencontrar em 2016/2 por causa de Panic! At the Disco. Quem diria que Brendon Urie sem camisa usando calças de couro seria a solução dos meus problemas!”. Acho isso define bastante o que dois mil e dezesseis significou para mim na verdade. Brincadeiras a parte: ter parado de consumir café e ter voltado as minhas “origens musicais” foram provavelmente as melhores decisões que eu tomei esse ano. Sério. Eu posso dizer que me sinto “Sophia” pela primeira vez em muito tempo e é claro que isso é ótimo.